top of page

Instituto Caça-Fome recebe honraria na Câmara Municipal de São Paulo


Homenagem concedida pelo vereador Arselino Tatto reconhece a atuação da entidade em favor dos mais vulneráveis no período da pandemia


Na noite da última segunda-feira (26), o vereador Arselino Tatto (PT) concedeu ao Instituto Caça-Fome a Salva de Prata, em sessão solene realizada no Plenário 1º de maio, na Câmara Municipal.


A Salva de Prata é uma honraria oferecida às instituições, organizações sociais ou entidades com o objetivo de reafirmar os serviços relevantes prestados à sociedade.


O Instituto Caça-Fome nasceu em um dos piores períodos já enfrentados pelo Brasil, em abril de 2020, durante a pandemia do Coronavírus.


Momento da entrega da Salva de Prata ao Daniel Ribeiro, fundador do Caça-Fome


A princípio surgiu como uma campanha emergencial, para socorrer pessoas em situação de risco ou vulnerabilidade social, com a distribuição de alimentos e máscaras para proteção contra o Coronavírus. A campanha cresceu, e em pouco mais de dois meses, e 200 toneladas de alimentos distribuídas, virou o Instituto Caça Fome, fundado e gerido pelo empresário paulista Daniel Ribeiro.


O primeiro pedido de socorro chegou através do Tonhão, em abril de 2020, daí surgiu a ideia de tentar ajudar o máximo de pessoas. Eu entendo que o herói é o Tonhão, ele me fez sair de casa e fazer algo para ajudar quem estava passando fome, a homenagem hoje é para todos que ajudaram o Caça-Fome de alguma forma”, declarou Daniel Ribeiro, fundador do Instituto.


Tonhão e William, lideranças do Jardim Universitário, tiveram papel fundamental para a criação do Caça-Fome


Desde a fundação, o Caça-fome já entregou 110 mil cestas, 1320 toneladas de alimentos, beneficiando 550 mil pessoas em mais de 700 comunidades, com a ajuda de 200 voluntários. O Instituto também confeccionou e entregou 350 mil máscaras de proteção.


O vereador Arselino Tatto conheceu a ação através do líder comunitário Antônio César Ferreira (Tonhão), que atua no Jardim Universitário, zona Sul da cidade, e foi a primeira pessoa a procurar o empresário Daniel para pedir socorro, informando que as pessoas estavam passando fome.


O Caça-Fome surgiu porque a sociedade, principalmente o governo negacionista de Bolsonaro, falhou na garantia de direitos básicos aos cidadãos, como a alimentação, em plena pandemia. O Brasil retrocedeu e voltou ao mapa da fome, o que o Caça-Fome fez foi impedir que milhares de pessoas fossem dormir com a barriga vazia e isso é extraordinário”, declarou o vereador Arselino Tatto, proponente da homenagem.


Em depoimento emocionado, Tonhão agradeceu ao Instituto por ajudar não só a sua comunidade, mas muitas outras espalhadas pelas periferias da cidade de São Paulo e lembrou que o trabalho continua, já que a fome ainda é uma realidade difícil nos bairros mais pobres.


A concessão da Salva de Prata é feita por meio de decreto legislativo e foi aprovada por unanimidade pelos 55 vereadores da Câmara.


O evento contou com a presença de líderes comunitários da zona Sul da cidade, onde o Caça-fome começou sua atuação, e do deputado federal Nilto Tatto.







bottom of page